Conheça os principais sintomas do Hipertireoidismo

Conheça os principais sintomas do Hipertireoidismo

março 1, 2019 0 Por Daniela

O Hipertireoidismo é caracterizado pela produção excessiva de hormônios tiroxina (T4) e tri-iodotironina (T3) pela glândula tireoide, que são responsáveis pelo gasto de energia de cada célula e funcionamento geral do organismo. Esse processo se chama metabolismo e pode ser consideravelmente afetado pela hiperatividade da tireoide.

Pesquisas apontam que mulheres entre 20 e 40 anos têm mais chances de sofrer com o problema do que homens. Além disso, pessoas que possuem histórico familiar com essa condição também estão nos fatores de risco e, por isso, devem procurar um especialista para realizar exames de rotina.

A causa mais comum de Hipertireoidismo está relacionada a Doença de Graves, que ocorre quando o sistema imunológico ataca a glândula tireoide. Essa disfunção crônica provoca o aumento da glândula e estimula a produção excessiva dos hormônios. Em alguns casos, é possível que a pessoa sofra com inchaço atrás dos olhos, resultando na protusão para fora do globo ocular.

No entanto, o Hipertireoidismo também pode ser desencadeado por outros fatores, como:

  • Ingestão em excesso de iodo
  • Infecções virais ou casos de tireoidite pós-parto, que causam uma inflamação na tireoide
  • Tumores na glândula tireoide, que podem formar nódulos e aumentar a produção de hormônios
  • Tumores nos testículos ou ovários

Sintomas Hipertireoidismo

Por muitas vezes, os sinais do Hipertireoidismo são confundidos com os de outras doenças. Por isso, apenas um especialista pode diagnosticar a condição, que apresenta sintomas como:

  • Perda de peso sem um motivo aparente, mesmo que continue se alimentando da mesma forma
  • Aumento do apetite
  • Ansiedade
  • Aumento da umidade da pele
  • Sensibilidade à luz
  • Vermelhidão nas palmas das mãos
  • Irritabilidade
  • Nervosismo
  • Fraqueza nas unhas
  • Fraqueza muscular
  • Palpitações e arritmia cardíaca
  • Hipertensão arterial
  • Suor em excesso
  • Tremores em algumas partes do corpo, como mãos e dedos
  • Glicose alta no sangue
  • Fadiga
  • Queda de cabelo ou fios quebradiços
  • Bócio, um aumento do volume da tireoide
  • Anemia
  • Diarreia
  • Aumento da vontade de urinar
  • Dificuldade para concentração
  • Insônia
  • Amnésia

Femininos

mulher com mão no pescoço

Como visto anteriormente, o Hipertireoidismo é mais frequente em mulheres. As causas ainda não são exatas, mas acredita-se que as alterações hormonais possam ser estar relacionadas com o desencadeamento do problema.

Os sintomas dessa disfunção tireoidiana são os mesmos já citados, no entanto, o sexo feminino tende a sofrer com alguns outros fatores influenciados pelo problema. As falhas e alterações no ciclo menstrual são os principais deles, que acabam causando problemas na fertilidade da mulher. Isso ocorre porque o Hipertireoidismo acaba atrapalhando a ovulação, impedindo uma possível gravidez.

Em homens

homem com mãos no pescoço, com problemas de tireoide

Embora seja mais comum em mulheres, o Hipertireoidismo pode afetar homens e se tornar grave, causando sintomas como:

  • Fadiga
  • Inquietação
  • Transpiração
  • Perda de peso
  • Problemas de concentração

Além disso, é possível que o homem sofra com Ginecomastia, um excesso de tecido mamário que provoca o aumento das mamas masculinas. Embora não seja grave, essa condição pode causar bastante desconforto, mas pode ser revertida com medicamentos que reduzem os níveis de tiroxina do organismo.

Na gravidez

gestante realizando exames para analisar a tireoide

O Hipertireoidismo na gravidez pode causar diversas complicações e riscos, como parto prematuro, hipertensão na mãe, baixo peso ao nascer, deslocamento da placenta, problemas na tireoide do bebê e aborto.

Os sintomas dessa condição costumam não ser identificados durante esse período, pois acabam sendo confundidos com os com as alterações hormonais femininas comuns, que causam:

  • Calor e suor em excesso
  • Fadiga
  • Ansiedade
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Náuseas
  • Vômitos
  • Perda de peso

Dessa forma, o principal sinal de Hipertireoidismo na gravidez é a ausência de ganho de peso, embora o apetite seja maior e a pessoa se alimente bem.

No bebê

bebê chorando, deitado na cama

Embora seja bastante raro, o Hipertireoidismo em bebês pode causar risco de vida, uma vez que eventos como parto prematuro e aborto sejam influenciados pelo problema. Essa condição geralmente ocorre em fetos de mulheres que sofreram ou sofrem com a Doença de Graves, na qual os anticorpos podem cruzar a placenta e estimular a glândula tireoide do bebê. Após o parto, o bebê que não está mais exposto aos anticorpos da mãe sofre temporariamente com a Doença de Graves (Doença de Graves neonatal), mas isso pode variar.

Os principais sintomas de Hipertireoidismo nos bebês são:

  • Irritabilidade
  • Hipertensão arterial
  • Aumento da frequência cardíaca
  • Anomalias no crânio
  • Olhos saltados
  • Bócio
  • Problemas com alimentação

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico dessa disfunção é feito por um endocrinologista, através de exames que medem a dosagem do hormônio TSH produzido pela hipófise e dos hormônios T3 e T4 produzidos pela tireoide. Se o nível de TSH estiver baixo e a dosagem dos hormônios estiver alta, o Hipertireoidismo é identificado. Além disso, um exame físico também deve ser realizado para analisar a existência de nódulos na região da tireoide.

Como é feito o tratamento?

O tratamento para Hipertireoidismo varia dependendo da sua causa e gravidade dos sintomas, mas geralmente é feito com a assistência de:

  • Remédios antitireoidianos – A droga mais usada nesse caso é o Metimazol, que diminui a quantidade de hormônio produzida pela glândula tireoide. Embora haja um controle na produção, esse tratamento pode não curar o Hipertireoidismo.
  • Ingestão de iodo radioativo – É possível curar o Hipertireoidismo com esse tratamento, mas ele pode resultar na destruição permanente da glândula tireoide. Desse modo, a pessoa precisará repor os hormônios através de comprimidos por toda vida.

A cirurgia para retirar a tireoide só é recomendada em último caso, e exige a reposição dos hormônios com pílulas para o resto da vida.

 

Fontes:

https://www.ufrgs.br/telessauders/documentos/protocolos_resumos/endocrino_resumo_hipertireoidismo_TSRS_20160324.pdf

http://professor.pucgoias.edu.br/SiteDocente/admin/arquivosUpload/15347/material/Aula%20Hip%C3%B3fise%20tire%C3%B3ide%20e%20paratire%C3%B3ide.pdf